Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Honduras’ Category

Honduras

Chegamos a Tegucigalpa cerca de 12 horas de um dia, para sair já no dia seguinte pela manha (5 da matina, para sermos mais precisos).
A cidade fica num grande vale, entao é cheia de altos e baixos, tendo um ar muito simpático por essa geografia. De várias partes se vê o vale, cheio de cidade… A cidade seria bastante agradável, nao fosse seu trânsito absolutamente irritante!! Imaginem uma cidade só com ruas estreitas e muito carro na rua! Infernal, sem brincadeira…

dsc00897

dsc00910

dsc00922

A cidade é dividida em dois, uma parte supostamente mais chuchuca, outra mais pobre, separadas por um rio. O curioso é que esse rio na verdade é uma grande margem de pedregulhos com um fiapo no meio – quase nao há água!

O rio e seus dois lados.

O rio e seus dois lados.

dsc00915

Fomos para o centro e almocamos em um restaurante, onde comemos acho que a primeira carne da viagem… Haja pollo!

dsc00912

Depois fizemos o circuito básico pelo centro e fomos surpreendidos por um palquinho com uns shows na praça central, em comemoracao aos 60 anos da Declaracao Universal dos Direitos Humanos. Espero que as comemoracoes por ai tenham sido um pouco mais politizadas do que aqui, porque realmente eram so uns cantantes e coisas assim. O máximo de politizaçao que teve foi o ultimo show, cujo cantor, Guilhermo Anderson, segundo os organizadores do evento o “Embaixador Cultural de Honduras”, tem um estilo politicamente correto. Mas o que marcou mesmo a comemoracao foi um moleque, notoriamente de rua, cheirando cola bem na nossa frente durante o show, sendo gentilmente convidado a se retirar da praça por um policial. Ou seja: venham cidadaos de bem, limpinhos e ajustados celebrar os Direitos Humanos. Os nao enquadrados, retirem-se por favor, para nao constranger os demais…

dsc00933

dsc00939

Ah, também por conta das comemoracoes havia um exposicao de fotografias muito interesssante, no passeio central, com todos os artigos da declaracao e fotos ilustrativas, expondo as contradicoes. Quao orgulhosos nao ficamos ao ver que a foto sobre tratamento digno às pessoas privadas de liberdade é de uma prisao brasileira superlotada!!

"Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes."

O artigo 5 da Declaracao Universal dos DHs diz: "Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes."

Em compensaçao, quando a gente estava indo embora da praça, ouvimos uma bandinha tocar “Aquarela do Brasil”… E fomos embora de taxi, porque depois das 7 horas nao há mais ônibus na cidade, apenas taxi!

Aliás, o sistema de ônibus na América Central toda é muito peculiar – todos privados, a pessoa tem um ônibus como teria um taxi… Ate agora nao entendemos direito como é o sistema, que tipo de fiscalizaçao ou regulaçao há, se é que há… Por exemplo, o dono do ônibus acorda doente e nao vai trabalhar… Pode? E se vários daquela rota nao forem, como fica a populacao? Tipo: bizarro! E lógico, aquela guerra desenfreada por passageiros, que fazem com que os ônibus fiquem meia hora em um ponto (com um carinha gritando para atrair os passageirtos e praticamente jogando gente para dentro), dêem ré para pegar gente, pare no meio da rua e tudo mais que se possa imaginar… Fora que cada um “enfeita” como quer o seu ônibus, que sao cheios de frases de caminhao e todo tipo de propaganda (de política a futebol).

Enfim, depois de menos de 24 horas da capital Hondurenha, saimos com a sensaçao de fazer bem em nao ficar mais um dia lá. Diante da correria da viagem, acertamos em fazer apenas um pit stop. A experiencia, ainda que superficial, nos deu uma bela noçao do que seja a cidade, e, por tabela, o país.

Anúncios

Read Full Post »