Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Equador’ Category

Em Machala, fomos a uma ilha onde aprecimaos uma bela praia e demos nosso primeiro mergulho no Pacífico. Já não era sem tempo! Não temos fotos da praia, porque a gente tinha pouco tempo e mais o que fazer… Mas a chegada na ilha é essa ai… E a Coca-Cola em todos os cantos…

image177

Em Guayaquil, maior cidade e centro econômico do Equador, está a praça das Iguanas, que nao chama assim mas deveria, porque há nela, em pleno centro urbano, dezenas desse bicho. A mistura é algo de bastante peculiar. Claro que o Pedro se divertiu horrores e tirou milhoes de fotos, mas por hora essas são suficientes… O Malecon é um passeio construido na orla do rio Guaya, com parques, cinema, restaurantes etc… Bem charmoso, mas mais ao estilo Miami.

image170

image172

image174

image175

No Equador sentimos mudanças significativas na nossa viagem: além do clima, surgem as vegetações mais intensas e os negros voltam a compor a população. Quito é uma cidade muito bacana. Ganhou o prêmio “por la carretera” centro histórico mais bonito até agora, super preservado, com construçoes muito bonitas. Além disso tem parques belíssimos, além de um excelente sistema de transporte público urbano.

Quito vista do alto do cerro da virgem

Quito vista do alto do cerro da virgem

O centro histórico a noite

O centro histórico a noite

image164

Não é pra achar que no Equador tem vários patos que andam no meio da rua...

Não é pra achar que no Equador tem vários patos que andam no meio da rua...

Esse parque fica no coração da cidade, lembra o Ibirapuera, apesar de nao ser tão grande, mas tem uma vantagem: não tem grades! Outra coisa que chama atençao é que Quito tem várias esculturas e estátuas nas ruas bem diferentes do que se vê normalmente. Esse é um exemplo…

image167

É nóis, en la mitad del mundo!

É nóis, en la mitad del mundo!

Depois de passar por Otavalo, do qual não temos registro fotográficos mas mercadorias (trata-se do maior mercado indígena da américa do sul), entramos na Colômbia… A fronteira colombiana definitivamente ganhou o prêmio da mais bizarra até agora, porque para você entrar no país precisa ter uma passagem de saída do mesmo. Detalhe que a gente entrou pelo Equador e vai sair pela Venezuela, o mais ao norte possível… Até, ai, já é estranho, porque de fato nao se impede que as pessoas fiquem no país com esse sistema… Mas o mais bizarro era a picaretagem institucionalizada: o próprio fiscal da fronteira falou pra gente pegar uma passagem qualquer de saída, mesmo que a gente nao fosse usar, para ele poder autorizar a entrada. Depois, na saída e na fuça dele, uma cara veio oferecer para arranjar um esquema mais barato de entrar do que comprar a passagem: por U$ 20,00 por pessoa, ele arranjava o carimbo… Claro que a gente não topou, compramos uma passagem que sai por Cucuta (Venezuela, mais ao sul), e seguimos viagem… No caminho para Bogotá, além do exército nas estradas, uma das paisagens mais bonitas até agora: muitos vales, muito verde, uma mistura de canions com amazonia… Muito bonito.

image158

Em Bogotá a forte presença do exército na rua (no centro) – para passar pela rua ao lado do palácio presidencial tem até revista – , chama a atenção, mas de resto é uma metrópole como outra qualquer, muito diferente do que se imagina no Brasil… O centro histórico é também bastante preservado, muito bonito, e o mais interessante: com uma vida muito intensa. Muitas universidades, escolas primárias, bares etc, o tornam um bairro muito movimentado.

O Palácio de Nariño (casa do homi)

image153

image154

image156

Visitamos, claro, a quinta do Bolívar, casa onde morou por um tempo o grande libertador das américas… A casa é muito gostosa, mas nao sei se ele teve tempo de aproveitar: libertar Equador, Colômbia, Peru, Bolívia, Panamá e Venezuela deve ter tomado um bom tempo…

image149

image150

A roupa que enfrentou os espanhóis

A roupa que enfrentou os espanhóis

A árvore da solidariedade das américas, onde foi colocada terra de diversos paises do continente

A árvore da solidariedade das américas, onde foi colocada terra de diversos países do continente

Nessa grande cidade, o Pedro, o planetário e o prédio mais alto da cidade e nóis em frente à arena das touradas (pois é, tem tourada em Bogotá!).

image145

image147

image148

Anúncios

Read Full Post »

Depois de Cusco fomos para Arequipa, a cidade branca. Tem esse nome devida a grande quantidade de construções feitas com as pedras brancas da região, as quais também dão origem ao cimento branco fabricado nesta segunda maior cidade do Peru.

image0191

image021

image0231

Em Arequipa existem cerca de 300 vulcões nas suas intermediações. Entre eles Amampu, onde foi encontrada Junita, uma garota de 12 anos sacrificada pelos Incas. Foi mumificada naturalmente pelo gelo e está em grande estado de conservação possuindo até mesmo pele. Existem também os vulcões Mysti logo ao lado da cidade e o Mysmi, de onde nasce o Rio Amazonas.

Vulcão Mysti com mais de 6.000 metros de altitude.

Vulcão Mysti com mais de 6.000 metros de altitude.

Em Arequipa fica também o segundo canon mais profundo do mundo, o Canon del Colca. Óbvio que fomos conferir.

Em Arequipa fica também o segundo canon mais profundo do mundo, o Canon del Colca. Óbvio que fomos conferir. O caminho é bem caracteristico... com plantaçoes de pedrinhas...

O caminho é bem característico... com plantaçoes de pedrinhas...

...alpacas (uma Llama meio ovelha)...

...alpacas (uma Llama meio ovelha)...

... fendas na montanha provocadas por terremotos...

... fendas na montanha provocadas por terremotos...

... danças tipicas...

... danças típicas...

Juan, a águia doméstica de um pueblo do Canon.

Juan, a águia doméstica de um pueblo do Canon.

No Canon com 1.200 metros de profundidade, vimos pela primeira vez nos Andes o famoso Condor dos Andes fora do zoológico. O maior passáro do mundo é realmente impressionante, chega a medir 3 metros de envergadura.

image0112

image012

A última cidade peruana que vistamos foi Lima. Como em toda boa metrópole, balada, boa comida e cinema.

image0071

image0081

image0101

No domingo chegamos em Tumbes, cidade da fronteira do Peru com o Equador, depois de 18 horas de estrada. Chegamos e fomos informados que a fronteira poderia ser fechada na segunda-feira por uma manifestação de camponeses equatorianos que tem tempo indeterminado para desbloquear as estradas. Resolvemos ir na mesma hora para o Equador para acompanhar o bloqueio do lado de lá em vez de ficarmos presos em Tumbes. Atravessamos a fronteira a pé e pegamos um ônibus para a cidade equatoriana Machala, a capital mundial da banana.

Entrando no Equador

Entrando no Equador

Maravillosa vista do nosso hotel em Machala

Maravillosa vista do nosso hotel em Machala


Read Full Post »